Para mais informações entrar em contato.

CHICO BOTICARIO, Francisco de Paula Leopoldino Araújo

Nasceu no dia 26-8-1830, em Barbacena, MG, onde iniciou seus estudos. Seu pai Francisco de Paula Camilo Araújo, além de fazendeiro em Chapéu d'Uvas, era político em Barbacena, onde foi líder da Revolução Liberal de 1842. Seu avô Joaquim Rodrigues de Araújo, também político, foi um dos fundadores da Vila de Barbacena em 1791, e contribuiu também para a Independência do Brasil e sua consolidação, sendo vereador da Câmara Municipal de Barbacena, que foi a primeira a solicitar a permanência do Príncipe D. Pedro no Brasil, "O FICO", oferecendo-lhe apoio político e militar. Seus avós eram parentes dos Inconfidentes Francisco Antonio de Oliveira Lopes, Domingos Vidal Barbosa e Faustino Soares Araújo e conviveram com os ideais e dramas da devassa e suas condenações.

Concluindo o curso de Farmácia, transferiu-se para Rio Novo, onde, sempre zeloso na manipulação dos remédios e eficiente atendimento ao povo, recebeu o carinhoso apelido de CHICO BOTICARIO.

Casou-se com Maria Augusta Vieira em 12-6-1859, filha de Francisco Antonio Vieira e Maria Rodrigues Viera (Vovó Novata). Tiveram quatro filhos: Olímpio Rodrigues Araújo, Cristiano de Paula Araújo, Jovita Augusta Araújo e Olívia Emília Araújo.

Sua cultura e dedicação à causa pública, levaram-no a exercer diversas funções na administração local, prestando relevantes serviços ao município, onde foi Presidente da Câmara e Agente executivo de 1882 a 1890. Foi nomeado também Coronel da Guarda Nacional e lembrado por Machado de Assis na crônica publicada em 28-05-1885 pela Gazeta de Noticias do Rio de Janeiro. .
Como proprietário da Fazenda do Ribeirão, tornou-se próspero produtor de café; foi ainda escritor de obras técnicas, econômicas e sociais, como o livro "A Cultura do Café e a Falta de Braços na Lavoura", editado em 1879.

A partir de 1890, abandona a política e as atividades econômicas para se dedicar com exclusividade à Botânica, em parceria com seu amigo SCHWACKE, realizando estudos de cruzamento de plantas para usos medicinais, coletando e determinando espécies novas de mais de 16.000 plantas. Este importante trabalho encontra-se atualmente na Escola de Farmácia de Ouro Preto, no Museu Nacional do Rio de Janeiro, e nas cidades de Breslau, Munique, Leipzig e Berlim na Alemanha.

Em reconhecimento a este importante trabalho foi homenageado pelos cientistas Loesener, Mez, Engler, Radlkorfer e Kochne, que deram o seu nome a algumas espécies novas, figurando para sempre nos anais da ciência: Tillandisia araujei, Nectandra araujovii, Mezia araujei, Diplopterys araujei e Virola araujovii.

Foi fundador da Loja Maçônica Culto Ao Dever, de Rio Novo, e recebeu do Grão Mestre Quintino Bocayúva o Titulo de Membro Honorário da Assembléia Geral do Grande Oriente do Brasil.
GENEALOGIA - Chico Boticário é descendente das ilustres famílias dos conquistadores e colonizadores do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais: Vasco Fernandes Coutinho, Marcos Azeredo, Azeredo Coutinho, Duarte Velho, Gomes Bravo, Nunes Campos, Barbosa Matos Coutinho, Afonso Rodrigues e Rodrigues Araújo; possui ligações colaterais com as famílias Massena, Soares Araújo, Murgel, Renault, Pharoux e Montreuil, Henriques, Castro Leite, Halfeld, Hamann, Oliveira Belo, Oliveira Lopes, Diana Braga, Gomes Araújo, Benedito Araújo, Pinto Coelho, Gonçalves Chaves, Araújo Franco, Lima e Silva (Duque de Caxias), Negrão de Lima, Vidal Barbosa Laje e Rates Amaral.

 

Desenvolvido por Absoluta Internet